O futuro da comunicação digital são as redes sociais locais

Os grandes darão espaço aos pequenos e as pessoas buscarão cada vez mais um contato filtrado por proximidade com outras pessoas. [postagem com podcast]





"Cientistas norte-americanos afirmam que o Facebook, maior rede social do mundo, experimenta um momento de ápice antes da queda, quando perderá 80% de seus usuários até 2017." (via G1)

Com base nesta e em outras publicações, várias pessoas estão pensando em como e quando será o fim do Facebook e outras mídias sociais da atualidade. Não é tão fácil fazer um genocídio digital de mais de 1 bilhão de usuários, mas é possível sim uma queda ainda maior de algumas dessas mídias de comunicação.

Acredito eu, que grandes possibilidades de substituições virão de novas redes sociais locais, com possibilidade de geolocalizão aprimorada e aplicativos móveis de fácil interação. Algo similar ao Foursquare, mas ao invés de ser uma experiência com empresas, será com pessoas. Já existem alguns projetos por aí, como por exemplo o MeetMe e até o incansável Badoo.

A ideia de globalização na comunicação envolvendo novas descobertas é muito legal. Entretanto, quem quer descobrir muitas coisas ao mesmo tempo, acaba no fim, não descobrindo nada. É por isso que as redes sociais locais ganharão ainda mais espaço num futuro próximo, pois a relevância do que se fala para alguém próximo é muito maior do que algo que se mostra para alguém distante, que vive uma outra realidade.

A filtragem por raios de quilômetros, por cidade, bairro, trabalho, universidade e outras similaridades farão os compartilhamentos, interação e até mesmo grau de aceitação serem muito maiores.

Segundo dados da We Are Social, a penetração do Facebook na população brasileira chegou a 86% e a média de tempo que os usuários ficam nas mídias sociais são de 3h 08min. com dados de janeiro de 2014. Todavia, os usuários não estão em comunicação constante, mas estão cada vez mais utilizando tais plataformas como meio de informação.

A comunicação em si, tem estado na mobilidade dos smartphones. Principalmente com aplicativos de bate-papo, como o WhatsApp. Algo que aumenta ainda mais a possibilidade de comunicar-se com mais relevância numa rede de conhecidos reais.


Por enquanto, ainda vamos utilizando o que temos e sem esperar mudanças drásticas relacionadas a extermínio de ferramentas atuais e muita inovação com outros novíssimos meios de comunicação digital. Algumas coisas deverão ser alteradas e os grandes não vão ficar para trás, apenas olhando a banda passar.

PODCAST

Se interessou pelo assunto? Fiz um podcast sobre isso com algumas observações além destas que tu acabou de ler. Podes ouvi-lo agora e até fazer o download se preferir.

Download: 4Shared | Duração: 18:55 min. | FanPage: Facebook

Para cursos, palestras, consultoria sobre marketing e comunicação digital entre em contato.

Sobre o autor: Publicitário, especialista em redes sociais e social media marketing. Palestrante, blogueiro, solteiro e apaixonado por literatura. Facebook | Twitter | LinkedIn | Google+ | [ Saiba Mais ]